sábado, 26 de abril de 2008

O CURANDEIRO, O SAPO E A VÍTIMA


Um comerciante da cidade de Pindamonhangaba, a 145 km da capital paulista, morreu nesta quarta-feira (23) após passar veneno de sapo no próprio corpo, de acordo com policiais do 5º Batalhão do Interior.

Segundo informações dos investigadores que acompanham o caso, o homem, de 52 anos, foi orientado por um curandeiro da cidade. Ele teria dito que esse procedimento afastaria das drogas o filho da vítima.

De acordo com a polícia, o jovem também passou o veneno de sapo no corpo, mas não apresentou reações. O curandeiro, que segundo os policiais confessou ter orientado o uso do veneno, pode ser processado por exercício ilegal da medicina e acusado de homicídio.

O boletim de ocorrência foi registrado no 1º Distrito Policial de Pindamonhangaba. Um inquérito será instaurado para apurar a responsabilidade do curandeiro no caso. Ainda segundo a polícia, o laudo com o resultado de um exame toxicológico, que vai comprovar a causa da morte do comerciante, pode demorar de oito meses a um ano pra ficar pronto.


Confiar à vida aqueles que consultam "artes mágicas", ocultismo, espiritualismo ou qualquer outra forma de misticismo pode não trazer consequências tão imediatamente trágicas, mas todos que preterem o conselho de Deus às práticas citadas deixam de receber a verdadeira luz (Isaías 8:19 e 20)

Um comentário:

Emerson disse...

Nada alem de Deus pode trazer a cura e libertação de alguma coisa que não está bem.