sexta-feira, 31 de julho de 2009

O ARCEBISPO QUE DISSE "NO"


Um arcebispo argentino se levantou contra o manual de educação sexual elaborado pelo governo de seu país. Héctor Aguer, presidente da Comissão de Educação do Episcopado da Argentina e arcebispo da cidade de La Plata, criticou a perspectiva moral das orientações contidas no documento. Segundo ele, "entende-se [no manual] a educação sexual como o direito de fornicar o mais cedo possível e sem esquecer a camisinha", afirmou Aguer.

Preparado pelos ministérios da Educação e da Saúde argentinos, o manual, caso corresponda à crítica do arcebispo, não deve diferir muito das iniciativas brasileiras para conter as doenças sexualmente transmissíveis e a gravidez na adolescência. Infelizmente, soluções paliativas são comuns, embora não deem conta do problema.

Héctor Aguer propõe a abstinência - que, diga-se de passagem, é o programa divino para os solteiros -, mas seus hermanos não parecem muito satisfeitos com a sugestão. "É um retrocesso ver que existem setores que são contra esses assuntos, que têm um claro consenso democrático", reagiu María José Lubertino, presidente do Instituto Nacional contra a Discriminação (INADI). "É preocupante. Vamos analisar as declarações e que se retifique o que foi dito".

Fonte: BBC

18 comentários:

keithe disse...

o comentrio sobre muitas mulheres que gostam de usar programas e varios outros tipos para mudar é otimo nos temos que aceitarmos como Deus nos feis

Anônimo disse...

as mulheres usam varias tecnicas para mudar a sua aparencia verdadeira mas temos de ser como deus nos fez e não ficar mudando nsossa aparênica por photoshop

Anônimo disse...

eu concordo com ele, isso realmente incentiva.
Helena Uliano

Anônimo disse...

Concordo com ele, realmente isso incentiva.
Helena Uliano

Anônimo disse...

"isso realmente incentiva, mas o importante é seguir as escrituras."
israel mello dedeco.

Anônimo disse...

O governo faz essa advertência com boas intenções, mas isso com certeza incentiva os jovens a terem uma relação sexual muito mais cedo do que o certo, o que contraría totalmente o que Deus pede que façamos. O arcebismo tem razão em criticar esse tipo de publicação. É claro que os jovens e adolescentes tem que ser avisados dos riscos, mas poderia ser usada uma abordagem diferente, com base na Bíblia.

Suzane Witt

Anônimo disse...

"O arcebispo esta correto mas nós realmente devemos seguir o que está escrito na biblia."

Nicole Martinez

nicole disse...

muito boa a reportagem...
ele esta correto... isso realmete incentiva...
Bianca Martinez

Anônimo disse...

Eu concordo com o arcebispo, por que os adolescentes não deveriam ser incentivados a começarem cedo as relações sexuais.Os jovens e adolescentes tem de ser avisados e ensinados os riscos e como previnir isso, mas sempre deixando bem claro que as relações sexuais é para depois do casamento,como diz na Bíblia,e não antes dele.

Karoliny Nascimento

Anônimo disse...

eu concordo com o arcebispo, isso incentiva muito os jovens
Djordy Vinicius

Anônimo disse...

A única coisa que o governo pode fazer para tentar ajudar os Jovens é dando essas advertências. Mas esses tipos de "avisos" podem ser interpretados com um outro sentido, trazendo uma imagem de incentivo.
É correto que o Arcebispo discute e comente sobre isso.

Camila Bosco

Magaiver disse...

"entende-se [no manual] a educação sexual como o direito de fornicar o mais cedo possível e sem esquecer a camisinha", afirmou Aguer...
... como é que uma pessoa pode fazer um manual assim, contrariando todas as leis de Deus.


Vinicius Malkovski
mgR#

Anônimo disse...

O Arcebismo está correto, porque mesmo o governo tendo uma boa intenção em prevenir as doenças e advertir jovens, pode se passar uma idéia de incentivo. É certo se prevenir, mas o correto é ter relações sexuais depois do casamento, como diz a bíblia. O Arcebispo está certo em dzer "no".

Larissa Medeiros

Anônimo disse...

O arcebispo está correto. Os jovens são fortemente influenciados pela mídia, e tudo o que for escrito no manual de educação sexual pode levar aos jovens a tomar a decisão certa ou errada, depende de que forma foram dadas as orientações. Vejo que pode ser ensinado como se prevenir de uma gravidez indesejada e doenças, mas incluindo as leis de Deus, que só permite relações sexuais depois do casamento.

Jéssica Dalchau

Anônimo disse...

nada disso aconteceria se as pessoas tivessem conciência de que certas coisas só deveriam ser feitas após o casamento...
são coisas bestinhas que se as pessoas lessem a bíblia, um livro que está em todos os lugares...

o padre, em partes está certo;
mas a essência deveria estar no amor próprio, no cuidado de si.

Max Egon Wuttke

(obs: professor, anteriormente eu havia enviado um comentário...e não chequei se tinha dado certo... e hoje, quando fui checar, vi que meu comentário não estava aqui... por isso estou mandando nessa data o comentário. Espero sua compreeção. Grato.)

Anônimo disse...

concordo com o arcebispo, mas nao podemos esquecer que o importante é nós focarmos nossa atenção no que as Escrituras falam
bjus Patricia Ferreira, 9 a

Anônimo disse...

Eu gostei muito ele foi muito criativo,e isso vai influenciar muito na nossa vida.

Yamin Moraes Amorin

Anônimo disse...

eu acho que o governo não teve a intenção de influenciar os jovens ...
mas creio que influencie mesmo !
eu acho que o arcebispo fez certo. mas acho também que devemos seguir o que diz na biblia em primeiro lugar!

gabriella pretto