segunda-feira, 10 de agosto de 2009

AMOR A TODA PROVA



Os filmes de Hollywood constantemente exibem um romantismo superficial. Crises são resolvidas num passe de mágica. Traições são sublimadas apenas quando o traidor procura o traído, o qual, por sua vez, abandona a decisão de partir. Somente uma pessoa imatura emocionalmente acreditaria que a versão de romance retratada na sétima arte corresponde à realidade.

Neste fim de semana, assisti um filme que caminha na contramão das comédias românticas e dos dramas amorosos. À prova de fogo, dos irmãos Kendrick, recria de forma realista e positiva a intensidade da vida a dois. E mais: oferecendo uma perspectiva cristã, de lutar pelo relacionamento, com sacrifício.

Quem conhece o trabalho da Carmel, produtora dos sucessos evangélicos A Virada e Desafiando Gigantes, sabe que em cada um de seus filmes valores familiares são exaltados. Um constante em todos os roteiros é como a conversão resulta em transformações de vida, afetando a esfera familiar, pública, a maneira de encarar os negócios, etc.

Desta vez, o aspecto familiar é o destaque, sendo ilustrado na história do bombeiro Caleb Holt (Kirk Cameron), que se vê em uma série crise familiar - sua esposa, Catherine (Erin Bethea), cansou dos maus tratos e quer o divórcio. Para piorar, no mesmo hospital em que trabalha como relações-públicas, Katherine passa a ser alvo das atenções de um jovem e sedutor médico.

A única oportunidade para Kaleb salvar seu matrimônio será seguir o Desafio do Amor, livro que seu pai lhe dá, contendo tarefas diárias, as quais envolvem não apenas algo a ser feito, mas um valor a ser acrescentado no caráter que resiste às mudanças. Para recuperar o amor perdido, Kaleb terá de ir a fonte, Deus!

Muitos dos desafios do homem são retratados. Kalebe se vê às voltas contra os seus próprios interesses, busca desesperadamente o respeito de sua companheiro, ignorando as necessidades dela. A luta pessoal contra a pornografia e o desprendimento ao auxiliar nas tarefas domésticas são pontos que faram com que homens se identifiquem com o papel. Os Kendrick gostam de papeis masculinos "falsos-durões", que geralmente se "desmancham" em lágrimas ao longo da ação, sem, contudo, cair no emcionalismo piegas.

Tocante e cheio de boas surpresas, À prova de fogo vem se tornando um tornando um sucesso na locadoras, tendo como marketing o boca-boca, principalmente promovido pelo público evangélico. Quando loquei o DVD, funcionários da loja me questionaram como eu soubera do filme. Contaram-me que a procura era intensa. Fiquei feliz de antemão, porque antes mesmo de assistir o filme, eu soubera de suas qualidades. E faço questão de divulgá-lo, porque o que é bom, tem de se passar adiante.

3 comentários:

Anônimo disse...

Olá Douglas,

Quando vi esse filme recordei do livro "Fuga para Deus", que também conta a história de um homem que resolveu deixar Deus dirigir sua vida e a de sua família. A transformação foi surpreendente!

Um abraço!

Marco Aurélio.

Jaque disse...

Ahhhhhhhhhhhhhh esse filme é muuuito bom!

Anônimo disse...

é muito legal esse filme tremendo,
ele mexe muito com vc.